GeralNotícias

Estudantes do semiárido utilizam cacto para desenvolver ração para animais

Foto: Divulgação/Secti

A Bahia esteve entre os estados do Nordeste que registraram, em 2023, a pior seca desde 1980, de acordo com dados do Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). A falta de chuva é a principal causa dessa situação que afeta diretamente a alimentação dos gados e, consequentemente, o resultado dos pequenos produtores rurais. Pensando nisso, estudantes de Santa Bárbara, município situado no semiárido baiano, desenvolveram um tipo de ração a partir de uma espécie de cacto, conhecida como Palma Forrageira, que garante a ração animal durante o período de estiagem.

Juliana Oliveira, estudante do terceiro ano do Ensino Médio e do curso técnico em agroindústria, explica que a Palma é ideal, pois além de ser rica em vitaminas, armazena água em suas hastes, sendo resistente a períodos de estiagem. “Nós precisávamos de um alimento que não morresse com a seca. Analisando a alimentação dada aos animais, vimos que a Palma era uma ótima opção”.

A iniciativa, que faz parte do Programa Ciência na Escola, da Secretaria de Educação, surge a partir da influência de outros projetos sociais que ajudam produtores rurais. “Nós pensamos nos animais que sofrem com a seca, como, por exemplo, bovinos, caprinos, suínos e ovinos, além da própria sociedade rural, que não tem renda suficiente para comprar alimentação animal”, afirma a estudante.

O grupo, formado por Carolaine Ferreira, Leticia Amorim e Juliana Oliveira, todas do Colégio Professor Carlos Valadares, foi orientado pela professora Hevelynn Franco. Com base nos estudos, as jovens concluíram que o preparo ideal da ração é feito através da secagem orgânica da planta In Natura, ou seja, sem nenhum tipo de alteração, de forma a preservar o aroma natural e agregar na precificação final do produto, seguida da trituração e armazenamento a vácuo, mantendo a conservação. Atualmente, as estudantes planejam, o mais breve possível, buscar maior visibilidade para o projeto e comercializar o alimento.

Bahia Faz Ciência

A Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) estreou no Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico, 8 de julho de 2019, uma série de reportagens sobre como pesquisadores e cientistas baianos desenvolvem trabalhos em ciência, tecnologia e inovação de forma a contribuir com a melhoria de vida da população em temas importantes como saúde, educação, segurança, dentre outros. As matérias são divulgadas semanalmente, sempre às segundas-feiras, para a mídia baiana, e estão disponíveis no site e redes sociais da Secretaria. Se você conhece algum assunto que poderia virar pauta deste projeto, as recomendações podem ser feitas através do e-mail ascom@secti.ba.gov.br.

Enviar: