BrasilNotícias

Mais de 45 mil não estariam presos caso porte maconha fosse de 25 gramas, aponta Atlas

Foto: Paulo Pinto/Agencia Brasil

Mais de 42 mil pessoas não estariam presas caso o porte de até 25 gramas de maconha fosse considerado de uso pessoal. Os dados são do Atlas da Violência 2024, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo dados do levantamento, 42.631 detentos não estariam no sistema prisional brasileiro se até 25 gramas de maconha e 10 gramas de cocaína fossem consideradas quantidades para uso pessoal, e não tráfico. A libertação dos presos poderia significar uma economia de R$1,3 bilhão por ano para o Estado. Ao considerar o limite de até 100 gramas de maconha e 15 gramas de cocaína, a redução econômica poderia ser ainda maior. Nesse caso, 67.583 pessoas poderiam ser beneficiadas, o que corresponde a uma economia de aproximadamente R$2,1 bilhões por ano. O Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria na terça-feira (25) para descriminalizar o porte de maconha para uso pessoal, com oito votos favoráveis e três contra. A determinação não significa que o Supremo esteja legalizando ou liberando o uso de entorpecentes. 

Enviar: