O presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido) criticou a montadora Ford pela decisão do encerramento imediato das atividades de produção em suas três fábricas no país, incluindo a unidade de Camaçari, região metropolitana de Salvador.

De acordo com Bolsonaro, a montadora não revelou os reais motivos para sua saída do país, que na sua avaliação seriam devido a concorrência e a ausência de subsídios pagos pelo governo federal na sua gestão.

“Mas o que a Ford quer? Faltou a Ford dizer a verdade, né? Querem subsídios. Vocês querem que eu continue dando R$ 20 bilhões para eles como fizemos nos últimos anos? Dinheiro de vocês, impostos de vocês, para fabricar carro aqui? Há três anos a Ford anunciou que não ia mais produzir carro de passeio nos Estados Unidos. Eles tiveram subsídios nossos ao longo dos últimos anos de R$ 20 bilhões. Queriam renovar subsídio para fazer carro para vender. Agora, tem a concorrência também. Saiu porque, em um ambiente de negócio, quando você não tem lucro, você fecha”, afirmou o presidente sem dar mais especificações sobre os valores apresentados.

Ataque a Rui

Após as críticas do governador Rui Costa (PT), que atribuiu parte da culpa ao governo federal, Bolsonaro revidou o ataque ao afirmar que o petista não teria tido “capacidade de se antecipar aos problemas” para evitar a saída da montadora do estado.

“A Ford ficou, por exemplo, na Bahia, que o governador está me criticando lá, já tentou sair antes e ficou por uma decisão do então senador Antônio Carlos Magalhães, o tal do ACM, que podia ter todos os defeitos do mundo, mas era uma pessoa amada na Bahia. E ele lutou, a Ford ficou lá. Agora, o governador, que tem senadores com ele, não teve a capacidade de se antecipar ao problema e buscar possíveis soluções”, atacou.

Estimativas dão conta de que 5 mil funcionários serão demitidos da montadora. (ATarde)