A Polícia Civil de Minas Gerais analisa, nesta semana, 35 amostras de DNA de segmentos de corpos encontrados em meio à lama da barragem de Brumadinho por meio do Illumina, um sequenciador genético de última geração.

Segundo o R7, a expectativa dos peritos é conseguir identificar mais vítimas da tragédia. Até o momento, das 270 vítimas, 251 foram identificadas e outras 19 permanecem desaparecidas. 

Até agora, o equipamento foi utilizado para analisar 53 amostras de material genético. Desses, 31 tiveram os laudos periciais entregues, dos quais 26 foram inconclusivos, ou seja, não há possibilidade de obter resultado sobre estes.

Conforme o R7, os cinco restantes puderam ser concluídos, mas o DNA deles correspondia a outros segmentos já analisados anteriormente. Ou seja, nenhuma nova vítima pode ser identificada a partir dessas 53 amostras analisadas.