Uma bebê com problema no coração espera por uma transferência para uma unidade especializada há mais de 15 dias, na cidade de Ilhéus, no sul da Bahia. A menor foi diagnosticada no segundo dia de vida com cardiopatia congênita, uma alteração na estrutura do coração. No momento o quadro de saúde da recém-nascida é considerado grave, porém estável. No início, ela chegou a precisar da ajuda de aparelhos para respirar. Faz 20 dias que a pequena nasceu, e desde então, segue internada na Maternidade Santa Helena. Ela precisa de uma vaga em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal. No relatório médico endereçado à Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) e à Central de Regulação do Estado, foi recomendada uma transferência aérea ou terrestre avançada com urgência. A família está angustiada e a mãe da bebê, Adriele Andrade, conta que procurou o Ministério Público (MP-BA) e que uma juíza concedeu liminar determinando a transferência imediata, sob pena de multa diária.

"Até então ela está estável, mas pode ser um quadro que se agrave. E eles vão esperar o que? Acontecer o pior para tomar uma providência?", disse a mãe ao G1.

"O que eu pude fazer eu já fiz. Já procurei os órgãos responsáveis. Só que a resposta deles é só isso, que é uma vaga que é meio difícil. Que eu acho que quem deveria estar correndo atrás são eles, que são os órgãos responsáveis. Eu já fiz minha parte. Já fui no Ministério Público, já fui no Fórum. Vou fazer mais o que? Só esperar", completou.

A direção da maternidade informou que todos os exames e procedimentos necessários para a transferência foram realizados. A maternidade disse ainda que está em contato com a Central de Regulação do Estado para tentar uma vaga em Vitória da Conquista, no sudoeste do estado. Em nota, a Central de Regulação informou que continua em busca de um leito especializado para fazer a transferência da bebê.