O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, preso nesta quarta-feira (22) por causa de supostos repassasse as verbas para os municípios indicados pelos pastores Gilmar Silva e Arilton Moura, chegou a dizer que apenas obedecia a ordens do presidente. A fala foi registrada no depoimento dado por Milton à Polícia Federal, em março, quando ele foi interrogado. Milton Ribeiro entrou na mira da Polícia Federal (PF), após vazamento de um áudio no qual declarou priorizar repasses de verbas para prefeituras cujos pedidos de liberação foram negociados por dois pastores, Arilton Moura e Gilmar Santos, que não têm cargo no ministério. Na época, o então ministro afirmou que o procedimento era feito a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL). O ex-ministro e outros quatro suspeitos foram presos. Dois deles são os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em endereços de Ribeiro, de Gilmar e de Arilton -esses dois últimos são ligados ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e apontados como lobistas que atuavam no MEC. Quando o caso foi revelado, os pastores negaram irregularidades. As informações são do BNews.