O cantor Amado Batista teve que pedir desculpas ao filho do ex-presidente Lula (PT) e empresário Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, após ser alvo de uma queixa-crime por injúria. Os dois entraram em acordo nesta semana perante o Tribunal de Justiça de Pernambuco. A informação é da Folha de S.Paulo. Durante uma entrevista ao programa "Frente a Frente", transmitido pela Rede Nordeste de Rádio no ano passado, o cantor disse que tanto Lula quanto seus filhos praticaram roubo durante os governos petistas. Na época, Amado Batista insinuou que um dos filhos de Lula seria latifundiário. "É só ir pro Pará, lá pro Mato Grosso, para vocês verem. Ao vivo e a cores", afirmou. Na retratação, o cantor pede desculpas a Lulinha por atribuir a ele "graves ofensas" e por suas afirmações equivocadas de que o empresário "teria enriquecido de forma ilícita". "Apesar de ter dito que Fábio Luís Lula da Silva seria latifundiário e dono de cabeças de gado no Mato Grosso e no Pará, reconheço que essa Informação chegou ao meu conhecimento a partir de meros boatos irresponsavelmente difundidos na sociedade", afirma Amado Batista. Ainda de acordo com a reportagem, Lulinha e Amado Batista agora pedem que a Justiça determine que a retratação seja veiculada no site e no canal de YouTube "Blog do Magno", do apresentador Magno Martins, onde as afirmações do cantor foram publicadas pela primeira vez. "Antes do Bolsonaro, o dinheiro brasileiro era investido para ajudar países comunistas", afirmou Magno Martins, que comandava a atração. Amado, então, completou: "Além de roubar pra caramba, né? Além de ter roubado pra caramba. Existem pessoas que eram pobres antes do comunismo aqui, antes da esquerda, e que estão milionários hoje." Na época da entrevista, o cantor teria descredibilizado as pesquisas de opinião que, na época, já indicavam a vantagem de Lula sobre Jair Bolsonaro (PL) no pleito de 2022. "São os órgãos de comunicações que deixaram de mamar na teta do governo, né? E agora fica querendo pregar. O [filósofo] Karl Marx e o [ditador soviético Josef] Stálin disseram que dez mentiras bem contadas viram verdades", seguiu. "Esse é o país que as pessoas querem, de ladrões?" A queixa-crime apresentada à Justiça dizia que, por causa das declarações do cantor, o filho do ex-presidente foi obrigado a assistir injusta ofensa contra si e contra seus familiares. "[Fábio Luís] Sempre se manteve alheio aos holofotes da política, construindo carreira como empresário no segmento de games, mesmo que, vez ou outra, se visse diante dos desafios que a exposição política de seu pai lhe trazia", afirmava a ação.